domingo, 6 de fevereiro de 2011

Um giro pela Feira Hippie de BH - Parte 1

Walking through the hippie fair BH

Olá, gatas!
Como foram de final de semana! Espero que bem.

Bom, domingo é dia de feira aqui em BH, a tradicional Feira Hippie da Afonso Pena, ... uma coooooisa!
Costumo bater ponto lá e me acabar na compritchas, mas este domingo fui numa missão especial, mostrar pra vcs um pouco do que é aquele enorme celeiro de diversidades que atrai gente do Brasil inteiro e do mundo.
O sol estava de rachar e o calor insuportável, a feira lotaaada, como de costume, por isso é bom chegar bem cedo para não correr o risco de ficar entalada nos becos de passagem, que são estreitíssimos para tanto movimento.
Gente, pra ver tudo que tem por lá só indo mesmo, e com disposição para bater perna porque a feira se perde de vista. Fiz o que pude pra conseguir, em meio a tanto tumulto, algumas entrevistas com donos de barraca de artigos que considero bacanas e que têm a ver com a proposta do nosso blog.

***

A primeira parada foi na barraca da Alessandra Mara, uma bela designer de bolsas e acessórios que criou a marca Maria Chita. Suas peças são lindas e tem bolsas de todo tipo, alguns modelos são bem versáteis e podem ser usados de várias formas.
Ela me contou que também faz sapatilhas, chapéus e malas maiores para viagem, mas essas ela só comercializa na loja que possui no Barro Preto, onde atende cliente atacadista.




Segundo Alessandra,seus clientes fazem a linha Hippie Chic, disse que quem procurava as peças era uma molecada mais jovem, mas hoje ela atende pessoas de todas as idades. Ela acha que essa mudança ocorreu devido ao valor social de suas peças que são compostas de material reciclável: poliéster proveniente de garrafas pet e descartes de tecidos da indústria têxtil local.

Os preços de varejo das bolsas variam de 35,00 a 90,00.

Confesso que tentei resistir à tentação de levar uma, mas a Alessandra me deu um descontinho especial em função da matéria e... levei. O difícil foi escolher, todas são lindas.

Contatos:
(31) 2516-7520(Atacado)
(31) 3383-7520

***

Minha segunda parada foi na barraca Artesanal, propriedade da Vanessa. Ela e mais duas pessoas fazem peças simplesmente encantadoras que vão desde headbands (popular tiara hippie) a bolsas, cintos, chaveiros e outras fofurinhas de cabelo, tem inclusive para criança.
A Vanessa não é nada boba, é mãe de três gatas e sabe explorar a beleza das tchutchukas a favor de suas vendas.  Uma das filhas, a Iza, é o tipo de garota que não passa despercebida, ela está sempre na barraca ao lado da mãe, vendendo e enfeitando o espaço com seu rosto de anjo. As outras duas posam de modelos com a peças produzidas por Vanessa e as fotos ficam expostas na barraca.


Iza

Vanessa me contou que está na feira há mais de 30 anos. Ela, como muitos outros feirantes, é do tempo em que a feira era na Praça da Liberdade. Disse também que começou comercializando calçados, por isso ela ocupa um espaço no setor de calçados. Ela desistiu dos calçados porque achava o espaço incômodo para prova de clientes, aí começou a fazer uns baduláques para pendurar nas bolsas e foram surgindo demandas de outros produtos para cabelo que ela logo tratou de atender. Hoje sua barraca encontra-se bem diversificada, mas nadinha de sapatos.




As principais matérias primas que ela usa são a camurça e os fios de algodão trançados no tear.
A técnica usada é o tear chileno.

Os preços variam de 5,00 a 40,00.

Contato: 
(31) 3536-2170

***

Próxima parada... Arteminas, a barraca do Wauleno, um simpático artesão que optou por trabalhar com uma massa italiana reciclada para fazer moldes da sua produção, depois desse processo, ele pinta as peças uma a uma e as enverniza. Um trabalho minucioso e caprichado que resulta em brincos, colares e pulseiras que são verdadeiras obras de arte.





Wauleno adota essas caixinhas de embalagem
personalizadas phophas(servem de souvenir) como diferencial de suas vendas.
Tática que agrega valor às suas peças.


Na despedida, o Wauleno me agradeceu com esta gentileza, 
um mimo que amei.

Coisas lindas a preços bem amigos 
os brincos na faixa de 8,00.
Saiba mais no aqui no site da Arteminas
Contatos: 
(31) 3375-3631

***

Vamos dar uma paradinha na Maria Chapéu e conhecer a Daniella Porto Almeida, uma graça de menina que vive sorrindo pra algumas clientes chatas que aparecem sempre para pescoçar e não levam nada... essa sou eu tá gente?  Namorei um chapeu lá por meses e só hoje resolvi levar, com o descontinho amigo que a Dani me fez... oba!






A Daniella me contou que seus pais estão na feira há 25 anos. Eles começaram vendendo arranjos de flores
mas um dia o pai dela encontrou um pedaço de madeira na rua e fez o molde de um chapéu, a partir daí sua mãe tratou de confeccionar chapéus e enfeitar com as flores que sabia fazer, em pouco tempo ela abandonou as flores e passou a fazer só chapéus, de todos os tipos, e hoje toda a família está envolvida no negócio. 
A Dani tem uma loja virtual veja aqui, lá tem todos os modelos de chapéus, viseiras, bonés, boinas... e tem até modelos infantis.

Bom gente, o calor tava de matar e esse chapeuzinho veio em boa hora... não tirei mais.


Preços no site, na feira costuma ser um pouco mais barato.

Contatos: 
(31) 3567-9094
(31) 8705-1056

***

Agora vamos parar na barraca da Tânia Neves, uma das artesãs mais antigas da feira, ela está lá há 36 anos
e disse que viveu intensamente o movimento hippie nos anos setenta, ela me contou algumas de suas histórias e confesso que senti uma pontinha de inveja... abapha! Seus colares, cuja marca é Lírio do Campo Bijus, são o que há de mais lindo na feira, coloridos, chamam atenção de longe e ela tem um ponto privilegiado que é a lateral direita de quem desce a avenida. 






A Tânia me contou que tem um caso de amor com a feira, por estar lá  há tanto tempo e por ter criado sua família com recursos deste ofício. Ela se orgulha disso e diz que se sente parte do universo da feira hippie e que tem medo de um dia ter que sair de lá.

Aqui os preços variam de 10,00 a 40,00.

Contato:
(31) 3691-0043

***

Gatas, a matéria ficou enoooorme, por isso vou dividí-la em duas.
Ainda faltam três paradas para conclusão.
Fiquem ligadinhas que o restante virá no próximo post... só pra não ficar cansativo.

Aguardem!

Bjks

6 comentários:

Alegre-se que coisas alegres virão! disse...

Noooossaaa!!! adorei!! nao conheço ainda essa feira, tenho até medo de conhecer, vou querer comprar tudo... tudo que vc postou nessa parte da matéria e mais a outra parte... eheheheh Adorei amiga... vc vai trazer uq pra mim de lá? ehehehe

Um blog como Aquele disse...

Sandra eu amei o seu passeio pela feira, fiquei com vontade de visitá-la. Tenho um casal de amigos que mudaram-se há pouco tempo para BH e estamos (eu e meu marido)com vontade de visitá-los algum feriado desses. Quero muito ir à essa feirinha e quem sabe marcar um encontrinho para nos conhecermos, te aviso. O post ficou maravilhoso e vc linda nas fotos !!! Beijos.

Sônia Ribeiro disse...

Oi Sandra amei eta feirinha, adoro olhar tudo.Trabalho artesanal é fascinante minha terapia,qdo tenho tempo.Fiquei vidrada com as latinhas, bolas e afins..rss.E vc pra variar linda,linda.Bjão

Leticia Oliveira disse...

Ameiiii, ain queria estar aí..tanta coisa boaaa em BH!!! rararra
Bjooooka amor!

Diário do Figurino disse...

Que passeio heim amiga? Fiquei morrendo de inveja e de vontade de algumas coisas!
Beijos,

Cris

Izabelline disse...

Amada, amei sua visita no meu blog quero sempre ficar por dentro se suas novidades.. ai eu queria estar aí nessas fotografia.. eu ficaria completamente louca nessa feira.. amo bolsas e acessórios.. tudo de bom! Estou te seguindo aqui no blog.. adoraria tê-la como minha amiga tbm.. bjo carinhoso cheio de plumas e espumas!! Iza**